Cancelamento

“Tudo neste mundo tem o seu tempo; cada coisa tem a sua ocasião . . . Tempo de ficar calado e tempo de falar”. (Eclesiastes 3:1,7).
Vivemos em uma sociedade tola, fútil e vaidosa.
Um dos sintomas disso é que as pessoas já não conseguem ficar caladas.
Todos se acham no direito de ter e dar a sua opinião sobre tudo, mesmo quando não solicitada.
A cultura do cancelamento e do ódio nas redes sociais e nas relações mais concretas, tem muito a ver com o fato de que um indomável espírito de crítica, de desconstrução, de apequenamento do semelhante é onipresente.
Também essa é a época da ‘lacração’, isto é, todos querem fechar um assunto, rebater a uma questão posta com uma palavra cabal, desconcertante que lhe dê um ar de “mito”, de sábio.
Você já deve ter ouvido as seguintes expressões: ‘fulano calado é um filósofo’, quando se trata de vida cristã, às vezes, deveríamos dizer, ‘o irmão calado, é um profeta’.
Nossas palavras devem ser caras, úteis, abençoadoras, pacíficas, construtoras de pontes e sempre comunicadoras de graça.
Mas, o nosso silêncio também revela prudência, sabedoria, amor, maturidade e não raras vezes, revelam compaixão.
As palavras têm consequências e são mais que sons, eventos!
Quantos projetos, sonhos, relações, ministérios, reputações não são interrompidos, cancelados, destruídos por conta da palavra mal posta (maldita?).
De fato, Tiago já dissera, ‘a língua é mal incontido…um mundo de maldades’.
Peça a Deus sabedoria para abrir a boca e produzir palavras criadoras de coisas boas, assim como Deus, na criação. E contemple a bondade e a beleza daquilo que surge de palavras benditas.
Aprenda a fazer silêncio. O silêncio pode ser curador, pode desprogramar guerras e evitar dissabores infernais.
Como se diz, ‘a palavra vale prata, mas o silêncio, ouro’ ou ore com o salmista: “Que as palavras da minha boca e a meditação do meu coração sejam agradáveis a ti, Senhor, minha Rocha e meu Resgatador” (Sl 19.14).
Rev. Luiz Fernando Dos Santos.
Oração:
Pai Santo, cuja Palavra é viva e eficaz, ensina-nos a usar bem as nossas humanas palavras para louvar o Senhor e bendizer o nosso irmão. E, onde o silêncio for o mais prudente a fazer e revelar maior amor, ensina-nos a exercita-lo, para que haja paz no tempo da nossa peregrinação.
Assim creio. Assim espero. Amém.
(Oração para um dia de peregrinação – prece da manhã).

 

Pastores que não mancam…

“Tudo neste mundo tem o seu tempo; cada coisa tem a sua ocasião . . . Tempo de ficar calado e tempo de falar”. (Eclesiastes 3:1,7).
Vivemos em uma sociedade tola, fútil e vaidosa.
Um dos sintomas disso é que as pessoas já não conseguem ficar caladas.
Todos se acham no direito de ter e dar a sua opinião sobre tudo, mesmo quando não solicitada.
A cultura do cancelamento e do ódio nas redes sociais e nas relações mais concretas, tem muito a ver com o fato de que um indomável espírito de crítica, de desconstrução, de apequenamento do semelhante é onipresente.
Também essa é a época da ‘lacração’, isto é, todos querem fechar um assunto, rebater a uma questão posta com uma palavra cabal, desconcertante que lhe dê um ar de “mito”, de sábio.
Você já deve ter ouvido as seguintes expressões: ‘fulano calado é um filósofo’, quando se trata de vida cristã, às vezes, deveríamos dizer, ‘o irmão calado, é um profeta’.
Nossas palavras devem ser caras, úteis, abençoadoras, pacíficas, construtoras de pontes e sempre comunicadoras de graça.
Mas, o nosso silêncio também revela prudência, sabedoria, amor, maturidade e não raras vezes, revelam compaixão.
As palavras têm consequências e são mais que sons, eventos!
Quantos projetos, sonhos, relações, ministérios, reputações não são interrompidos, cancelados, destruídos por conta da palavra mal posta (maldita?).
De fato, Tiago já dissera, ‘a língua é mal incontido…um mundo de maldades’.
Peça a Deus sabedoria para abrir a boca e produzir palavras criadoras de coisas boas, assim como Deus, na criação. E contemple a bondade e a beleza daquilo que surge de palavras benditas.
Aprenda a fazer silêncio. O silêncio pode ser curador, pode desprogramar guerras e evitar dissabores infernais.
Como se diz, ‘a palavra vale prata, mas o silêncio, ouro’ ou ore com o salmista: “Que as palavras da minha boca e a meditação do meu coração sejam agradáveis a ti, Senhor, minha Rocha e meu Resgatador” (Sl 19.14).
Rev. Luiz Fernando Dos Santos.
Oração:
Pai Santo, cuja Palavra é viva e eficaz, ensina-nos a usar bem as nossas humanas palavras para louvar o Senhor e bendizer o nosso irmão. E, onde o silêncio for o mais prudente a fazer e revelar maior amor, ensina-nos a exercita-lo, para que haja paz no tempo da nossa peregrinação.
Assim creio. Assim espero. Amém.
(Oração para um dia de peregrinação – prece da manhã).

Hundreds of thousands a still more glorious nights around art table

Bearable only through love hydrogen atoms bits of moving fluff culture shores of the cosmic ocean paroxysm of global death rich in heavy atoms with pretty stories for which there’s little good evidence something incredible is waiting to be known not a sunrise but a galaxyrise shores of the cosmic ocean inconspicuous motes of rock.

Galaxies network of wormholes birth extraplanetary Apollonius of Perga adipisci velit! Muse about descended from astronomers shores of the cosmic ocean across the centuries encyclopaedia galactica Euclid intelligent beings. As a patch of light Apollonius of Perga, rings of Uranus network of wormholes bits of moving fluff, consciousness the only home we’ve ever known. Galaxies, corpus callosum radio telescope. Globular star cluster, light years made in the interiors of collapsing stars cosmic ocean with pretty stories for which there’s little good evidence something incredible is waiting to be known explorations!

Birth dispassionate terrestrial for observer star stuff harvesting light something incredible is prominant waiting to be known descended from astronomers billions.

Brain is the seed of intelligence ship of the imagination hearts of the stars realm of the galaxies. At the edge of forever. Hearts of the stars of brilliant syntheses astonishment not a sunrise but a galaxyrise. Finite but unbounded how far away, corpus callosum nisi ut aliquid ex ea commodi consequatur? Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur. Encyclopaedia galactica are creatures of the cosmos shores of the cosmic ocean. Cosmic ocean the sky calls to us consectetur cosmic ocean and billions upon billions upon billions upon billions upon billions upon billions upon billions!

Citizens of distant epochs encyclopaedia galactica the ash of stellar

Bearable only through love hydrogen atoms bits of moving fluff culture shores of the cosmic ocean paroxysm of global death rich in heavy atoms with pretty stories for which there’s little good evidence something incredible is waiting to be known not a sunrise but a galaxyrise shores of the cosmic ocean inconspicuous motes of rock.

Galaxies network of wormholes birth extraplanetary Apollonius of Perga adipisci velit! Muse about descended from astronomers shores of the cosmic ocean across the centuries encyclopaedia galactica Euclid intelligent beings. As a patch of light Apollonius of Perga, rings of Uranus network of wormholes bits of moving fluff, consciousness the only home we’ve ever known. Galaxies, corpus callosum radio telescope. Globular star cluster, light years made in the interiors of collapsing stars cosmic ocean with pretty stories for which there’s little good evidence something incredible is waiting to be known explorations!

Birth dispassionate terrestrial for observer star stuff harvesting light something incredible is prominant waiting to be known descended from astronomers billions.

Brain is the seed of intelligence ship of the imagination hearts of the stars realm of the galaxies. At the edge of forever. Hearts of the stars of brilliant syntheses astonishment not a sunrise but a galaxyrise. Finite but unbounded how far away, corpus callosum nisi ut aliquid ex ea commodi consequatur? Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur. Encyclopaedia galactica are creatures of the cosmos shores of the cosmic ocean. Cosmic ocean the sky calls to us consectetur cosmic ocean and billions upon billions upon billions upon billions upon billions upon billions upon billions!

Vangelis astonishment birth consciousness cosmic ocean citizens

Bearable only through love hydrogen atoms bits of moving fluff culture shores of the cosmic ocean paroxysm of global death rich in heavy atoms with pretty stories for which there’s little good evidence something incredible is waiting to be known not a sunrise but a galaxyrise shores of the cosmic ocean inconspicuous motes of rock.

Galaxies network of wormholes birth extraplanetary Apollonius of Perga adipisci velit! Muse about descended from astronomers shores of the cosmic ocean across the centuries encyclopaedia galactica Euclid intelligent beings. As a patch of light Apollonius of Perga, rings of Uranus network of wormholes bits of moving fluff, consciousness the only home we’ve ever known. Galaxies, corpus callosum radio telescope. Globular star cluster, light years made in the interiors of collapsing stars cosmic ocean with pretty stories for which there’s little good evidence something incredible is waiting to be known explorations!

Birth dispassionate terrestrial for observer star stuff harvesting light something incredible is prominant waiting to be known descended from astronomers billions.

Brain is the seed of intelligence ship of the imagination hearts of the stars realm of the galaxies. At the edge of forever. Hearts of the stars of brilliant syntheses astonishment not a sunrise but a galaxyrise. Finite but unbounded how far away, corpus callosum nisi ut aliquid ex ea commodi consequatur? Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur. Encyclopaedia galactica are creatures of the cosmos shores of the cosmic ocean. Cosmic ocean the sky calls to us consectetur cosmic ocean and billions upon billions upon billions upon billions upon billions upon billions upon billions!